Tu e Eu & Eu e Tu

Um blog de algodão doce

Será do tempo? Novembro 4, 2006

Filed under: Blogroll — hanokas @ 12:06 am
Será que o tempo é infinito?
Não tenho resposta para dar, mas com o tempo talvez ela apareça, pois ele para o mais comum dos mortais é limitado.
Nós não somos eternos e o nosso tempo está definido, o tempo de chegada e o tempo de partida.

No entanto, temos duas hipóteses:
– Passamos o tempo a sorrir;
– Deixamos que o tempo passe e que seja ele a rir-se de nós.

Eu prefiro a primeira hipótese. Passar o tempo da melhor maneira possível, aproveitar o que de bom tem para nos oferecer, e sobretudo sem pressas para ele passar bem devagar. Saborear cada momento, cada segundo pois o que vem a seguir é uma incógnita.
O tempo nos dá e tira tempo.
Dá-nos o bom e o mau.
Dá-nos sorrisos e tristezas.
Dá-nos amigos leva-nos amigos.
Mas dá-nos o mais importante para quem quer e sabe aproveitar:
TEMPO
Um tempo para aproveitar uma nova oportunidade.

O tempo cura todos os males, todas as feridas, todas as dores, todos os amores. Mas será que cura os males, as feridas, as dores e os amores da alma??
Não sei, só o tempo dirá…

 

Honestamente!!!! Novembro 2, 2006

Filed under: Blogroll — hanokas @ 10:05 pm


A ONU resolveu fazer uma grande pesquisa mundial. A pergunta era:

“-Por favor, diga honestamente, qual a sua opinião sobre a escassez de alimentos no resto do mundo.”

O resultado foi desastroso. Foi um fracasso total.

– Os europeus não entenderam o que era “escassez”;
– Os africanos não sabiam o que era “alimentos”;
– Os argentinos não sabiam o significado de “por favor”;
– Os norte – americanos perguntaram o significado de “o resto do mundo”;
– Os cubanos estranharam e pediram maiores explicações sobre “opinião”;
– E o congresso brasileiro ainda está debatendo o significado de “honestamente”….

 

Castelos de areia

Filed under: Blogroll — hanokas @ 1:48 am
“Num dia de verão, estava na praia, observando duas crianças brincando na areia. Elas trabalhavam muito, construindo um castelo de areia, com torres, passarelas e passagens internas. Quando estavam quase acabando, veio uma onda e destruiu tudo, reduzindo o castelo a um monte de areia e espuma. Achei que, depois de tanto esforço e cuidado, as crianças cairiam no choro. Mas tive uma surpresa. Em vez de chorar, correram pela praia, fugindo da água, rindo de mãos dadas e começaram a construir outro castelo. Compreendi que havia aprendido uma grande lição: gastamos muito tempo da nossa vida construindo alguma coisa e, mais cedo ou mais tarde, uma onda poderá vir e destruir tudo o que levamos tanto tempo para construir. Mas quando isso acontecer (e aqui eu digo, se isso acontecer), somente aquele que tem as mãos de alguém para segurar, será capaz de sorrir!”
“Só o que permanece é o amor, o carinho e a amizade. O resto é feito de areia.”